segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Olhos para a beleza

Você os tem?

17 comentários:

Vivian disse...

...eu amo janelas por onde
meus olhos se esgueiram
buscando o horizonte.

bjs, querido...

saudades de vir aqui...

Fatima disse...

Logico!
Não estou sempre aqui.
Bjs.

gentil carioca disse...

Espero que sim, mas ultimamente tenho visto muito porcaria, Marcelo.
Dá uma canseira no olhar....

Lara disse...

eu sou uma pessoa comum, mas tenho olhos para o extraordinário...

Livinha disse...

Celito...
quanta beleza é possível de se ver,
uma janela assim surrada, quantas coisas já guardada por trás dela,
tem porquês...
Janelas retratantes do passado, romantismo vivo nos corações apaixonados, onde o mundo era feliz sem saber...
Janelas, onde se resguardava belas donzelas,
sempre havendo um seresteiro que se encantasse por elas...
ah meu querido, isto é coisa do passado que jamais deixo de lado,
para não me arrefecer,
é patrimônio envelhecido, mesclado do sol dourado, cuja a chuva fez respingos, tantas vezes na parede,
em nostálgicos perecer...
e eu fico aqui pra ver, que tudo isto ainda, haverei de reviver, d'outras janelas, sem gradio a florescer...

Adoro teus desenhos e as inspirações que tu me causa. Pronto outro parto e desta vez eu vou levar com janela e tudo para uma breve postagem. Isto é, se tu permitir é claro!

Mas agora falando mais serio ainda rsrss(tô sempre falando serio, embora seja brincalhona)
Por falar em beleza, vc sabe o que é uma linda mulher?
Passe lá em casa e veja.

Adoro usted sabia?
beijos e beijos
Livinha

António Rosa disse...

Por isso gosto de vir até aqui. :)

Debora disse...

:-)
Sim, mas você dá uma ajuda e tanto!
Bjos.

Cris França disse...

ah querido, tipo essa que vc expos hoje.

simples e belo.

adorei!

que não andemos tão distraidos a ponto de nem vermos as flores que nascem nas calçadas.

bjs

marcelo dalla disse...

Bom dia, meus queridos amigos!
É isso: podemos ver a beleza escondida por trás das coisas, basta um ajuste no olhar. Vamos escolher olhar para o belo, vamos escolher o que há de positivo no mundo!
No fim, é tudo uma questão de escolha.

Livinha, quanta inspiração deixaste aqui. Tens toda a permissão do mundo, nem precisa perguntar.

bjos e abraços!!!!!!!!

Paulo Braccini disse...

ah! está aí uma coisa que eu tenho ... que coisa mais linda isto aqui ...

bjux querido

;-)

António Rosa disse...

Marcelo,

Publiquei hoje no meu blog 'Cova do Urso' uma entrevista com a Cris França, do blog 'Canto de Contar Contos'. A uma pergunta minha, ela respondeu que este seu espaço é um dos que ela mais aprecia na blogoesfera.

Fica convidado a ler a entrevista e, se quiser, a deixar um comentário.

Aqui:

http://cova-do-urso.blogspot.com/2009/12/entrevista-cris-franca-do-canto-de.html

Abraço

António

Cristiano Contreiras disse...

Sempre me agrada vir aqui, Marcelo

tu sumiste! abs

Cris França disse...

Marcelo, obrigada por todo o carinho! bjão

Livinha disse...

Celito,
Meus poemas nascem das coisas que pego e que assimilo.
Sou galera, sou platéia e no meu imaginário, como cigana vestida num saião cumprido, onde posso estende-lo com meus braços e colher palavras, essências que volitam no espaço, caindo sobre minha saia..
O maestro rege a canção, eu fico somente assistindo, colhendo um suspiro, um comentário, um ai, uma lágrima, um sussurro, colhendo tudo, fazendo minhas observações...
Você quer saber, se o poema foi um relato, sim é um relato, relato da vida, não um caso identico, mas parecido, quando na nossa ignorancia, a gente apenas aprecia o externo, excluindo o feio, sem olhar o belo que de dentro se pode extrair de cada um. Você me ofertou uma janela, nela me debrucei e volitei, assim foi o meu relato, uma imagem feia, que navegando encontrei, não exatamente aquela, mas uma outra que era feia demais, algo bem parecido com o que narrei.
Minhas poesias, vieram dos porquês, porque da razão do sofrimento porque passei, da perda infeliz do meu companheiro. 5 anos passados e foi desde lá que passei a sair de mim e visualizar o mundo em busca de respostas... Tornei-me poeta? não, acordei a poetisa que se mantinha dormindo dentro de mim, esperando o momento para entrar em cena... Pena que esse momento foi o mais triste pra mim... Me desconheço? não, apenas de mim esqueço, pelo dom que Deus me deu, pra ver a vida com outros olhos e me sentir gratificada, pelas belezas alcançada desse universo maior...
Obrigada pelas palavras por lá deixadas, obrigada pelo desenho de empréstimo. Logo que postar eu te avisarei...

Acima eu pude ler o comentário do António Rosa, sobre a Cris e tenho que te dizer, que sou conivente com ela, pela grandeza do teu recanto, que promove, busca, incentiva e mostra... Sou grata a Fatima, pois sem ela, não sei se teria detectado você...

Beijos beijos e mais beijos em tu
corazón...
Livinha

Café com Bolo disse...

Procuro ter olhos de ver, embora nem sempre consiga, mas tento...e tento fazer quem lê meu blog, que tb tente ver...e tenho ficado feliz da vida, pois venho conseguindo!
Outro dia até publiquei uma estorinha da amiga da minha filha, que viu, quando passava num dia de muito calor, a beleza dos flamboyants floridos e me agradeceu por isso...fiquei tão emocionada! Coisas assim fazem a vida ser mais bonita e é nas pequenas coisas, nos pequenos milagres da vida que eu creio e tenho fé...eles podem transformar uma vida...
Beijos e abraços.

marcelo dalla disse...

Livinha querida, eu é que agradeço por ter te conhecido. Com este belo relato fiquei te conhecendo ainda mais. Como dizem os portugueses:
Bem haja!

Sucesso, paz e luz!
bjos

marcelo dalla disse...

Café com Bolo: tá vendo só? É por comentários com este que mantenho este blog. Essa partilha é maravilhosa.
Assino embaixo de tudo o que disse!

bjos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...