domingo, 29 de janeiro de 2012

A HISTÓRIA DO MESTRE RAMATIS

                                                   Ilustração de Claudio Gianfardoni

Olá queridos!
Ontem fui à palestra de Roger Bottini Paranhos sobre o Universalismo Crístico aqui em São Paulo e tive o prazer de conhecê-lo pessoalmente. A palestra aconteceu na Escola de Médiuns Ramatis. Lá naquele espaço inspirei-me para fazer um post sobre RAMATIS, citado por Roger em várias de suas obras. O grande trabalho que esse grande Mestre realiza merece ser divulgado e conhecido por todos.

Ramatís, ou Swami Rama-Tys, é uma presença polêmica no mundo espírita, com obras psicografadas que abrangem inúmeros aspectos das atividades espirituais. Sua última encarnação foi na Indochina, no século X. Alguns registros relatam que desde tenra idade possuía grande sabedoria, trazida de várias encarnações. Ele iria estimular as almas a conhecer a "Verdade".

Ingressou em um dos muitos santuários iniciáticos da Índia. Em encarnações anteriores, diz-se que foi o grande matemático e filósofo Pitágoras (cerca de 570 - 496 a.C.) , bem como Filon de Alexandria (cerca de 30 a.C. - 40 d.C.), um filósofo judeu responsável pela famosa Biblioteca de Alexandria. Nesse mesmo período, ele desfrutou da companhia inesquecível do mestre Jesus Cristo.

Em época ainda mais recuada viveu na Atlântida,.quando conheceu o espírito que seria conhecido como Alan Kardec, e com o qual se encontraria novamente em sua passagem pelo Egito, no templo do faraó Mernefta, filho de Ramsés. No Egito, Ramatís era então o sacerdote Amenófis.

Ao longo de suas encarnações, Ramatís sempre teve contato com os grandes sábios de cada era. Em sua vida na Grécia Antiga, no período em que ela estava em plena ebulição cultural, segundo informam algumas psicografias, já tinha conhecimento da imortalidade da alma, da purificação através de sucessivas reencarnações. Seus ensinamentos buscavam mostrar as nítidas vantagens de espiritualizar a vida. Ainda cultivava a música, a matemática e a astronomia. Nessa época, ele começou os estudos sobre o deslocamento dos astros e conclui que a Ordem Superior domina o Universo.

Consta também que participou da história da Índia no período da invasão dos arianos, por volta do século 4 a.C. Diz-se ainda que ele teria participado dos acontecimentos narrados no conto épico conhecido como Ramaiana. Nessa ocasião realizou seus estudos iniciáticos na China. Posteriormente, fundou um pequeno templo na Índia, sendo adepto da tradição de Rama. Desencarnou jovem, pois sua missão já havia sido cumprida.

Depois disso, no Plano Superior das Inteligências Espirituais, filiou-se definitivamente a um grupo de trabalhadores espirituais conhecido como Templários das Cadeias do Amor. Trata-se de um agrupamento nas colônias invisíveis do Além, que se dedica a trabalhos ligados à corrente oriental de pensamento.

O nome Ramatís (Rama - Tis), ou Swami Rama Tys, como era conhecido em sua época, é uma designação de sua hierarquia e dinastia espiritual. Rama é o nome que se dá à própria divindade, é um poderoso mantra que ativa os princípios masculino e feminino contidos no Universo.


A Fraternidade da Cruz e do Triângulo

Na dimensão espiritual, Ramatís exerce uma forte atuação junto à Fraternidade da Cruz e do Triângulo e se empenha em divulgar os ensinamentos de Jesus Cristo. Paralelamente, ensina a atuar segundo a antiga tradição espiritualista do Oriente, estabelecendo assim um intercâmbio entre as correntes espiritualistas do Ocidente e do Oriente.

Segundo relatos de vários espiritualistas, no final do século 19, no Oriente, houve uma fusão entre duas importantes fraternidades. Tratava-se da Fraternidade da Cruz, que divulga os ensinamentos de Jesus, e a Fraternidade do Triângulo, ligada à tradição espiritual oriental. Após essa união, as duas fraternidades - consideradas Fraternidades Brancas - consolidaram uma série de práticas e trabalhos espirituais que resultaram na formação da Fraternidade da Cruz e do Triângulo.

Seus membros usam vestes brancas com cintos e emblemas de tonalidade azul-clara esverdeada. Sobre o peito, trazem suspensa uma corrente com um triângulo lilás luminoso, no qual se encontra uma cruz em forma de lírio, símbolo que exalta a obra de Jesus e da mística oriental. O que os mentores informam é que todos os discípulos da Fraternidade que se encontram reencarnados na Terra são profundamente devotados às duas correntes espiritualistas.

Em seu trabalho no plano espiritual, Ramatís supervisiona as tarefas ligadas aos discípulos na Metrópole Astral do Grande Coração. Segundo informações de seus psicógrafos, atualmente ele participa de um colegiado no Astral de Marte. Os discípulos dessa ordem cultuam os ensinamentos de Jesus, que foi o elo definitivo entre todos os instrutores terráqueos, assim como a sabedoria e o trabalho espiritual de Antúlio, de Hermes, de Buda, de Confúcio e de Lao-Tsé.

Esse é um dos motivos pelos quais os seguidores de Ramatís na Terra - embora profundamente devotados ao pensamento cristão - também têm profundo respeito pela espiritualidade do Oriente.

Ramatis é apresentado como um espírito que surge envolto em uma luminosidade intensa, com uma aura amarelo-clara com nuanças douradas, circundada por traços finos em azul celeste e carmim. A cabeça é coberta por um turbante com muitas pregas, tendo no meio uma cintilante esmeralda, ornamentada por vários cordões finos de várias cores, que lhes caem sobre os ombros.

O ponto central das mensagens e do trabalho de Ramatís - que é seguido por diversas casas espíritas que recebem suas indicações espirituais – é a postura universalista e não-sectária, que permite absorver os conhecimentos espirituais das mais diversas linhas, convergindo dessa forma para uma união semelhante à que se dá no plano etérico entre as fraternidades da Cruz e do Triângulo, refazendo a máxima hermética de que o macrocosmo e o microcosmo estão correlacionados e se influenciam.


Fonte de pesquisa - http://www.ippb.org.br
Indico também outra postagem interessante sobre o Mestre no blog Saindo da Matrix - aqui.
Listagem das obras sob alegada orientação de Ramatis na Wikipédia - aqui.
DOWNLOAD DOS LIVROS DE RAMATIS - AQUI

9 comentários:

futurodanovaterra.blogspot.com disse...

Querido Marcelo, excelente postagem própria para compartilhar em meu blog, grata pelo trabalho, todas as bençãos e proteção para voce....JO

MARCELO DALLA disse...

Olá Jo!!!!!
Pois fique sempre à vontade pra compartilhar sempre. Fico feliz que gostou!!!
bjos e boa semana pra ti!

Astrid Annabelle disse...

Um grande e amoroso Mestre, Marcelo. Esteve presente nas minhas iniciações pessoais de Reiki, doze anos atrás...gosto muito das palavras dele.
Beijo grande por mais um belo post.
Astrid Annabelle

MARCELO DALLA disse...

Astrid querida:
Seu nome tem me aparecido por diversas vezes... coisas da sincronicidade. Por isso inspirei-me pra fazer este post. Esses Mestres nos inspiram e estimulam, realmente! :)
bjo

António Rosa disse...

Que bom que se lembrou de Ramatis.

Tomei contacto directo com Ele, a primeira vez em 1998, quando eu estava em Londres a ser submetido a uma intervenção cirúrgica.

Depois disso, li vários do seus livros e aprendi que faz parte da Hierarquia Portuguesa através da sua falange oriental.

Existem grandes equívocos sobre esta entidade, no mundo espírita.

Belo post

Abraço.

MARYAH TALISMAS disse...

OI MARCELO QUE LEGAL EU FREQUENTO A FRATERNIDADE .ADORO!!!!!!!
RAMATIS E MARAVILHOSO !!!

paulo araujo disse...

olá marcelo , estava procurando sobre ramatis ,e encotrei o seu blog com esta excelente postagem,obrigado por compartilhar conosco seus conhecimentos.
Comecei a ler sobre ramatis e me encantei acredito nos ensinamentos espiritualista universalista acho fantástico e confortante saber que existe pessoas que assim como eu entende que não é apenas uma crença ou religião o caminho para nossa evolução.

Luciana disse...

Boa noite. Sr Marcelo descobri sua pagina atraves de uma pesquisa rapida na net sobre o simbolo da fraternidsde da cruz e do triângulo que me apareceu numa imersao xamanica. Esse simbolo aparecia cravado em minha mao atraves do tok de uma pantera negra. Assim gostaria muito de ler mais sobre esse assunto. O sr. Poderia me indicar outras colocacoes ou sites. Obg.

Demerval Mendes Ferreira disse...

A oportunidade de expressar nossa identidade na realidade é algo que o mestre nazareno demonstrou...
-Somos irmãos e temos uma identidade conforme e interativa, quem se conhece sabe do que falo...
-Somos todos irmãos e temos um mesmo fim no meio onde não por acaso viemos experimentar essa identidade,entretanto a vida humana acontece e se define com o estado de consciência que o indivíduo se identifica...
-Shalom Adonai!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...