terça-feira, 21 de maio de 2024

MANTRA PARA CURA E PROTEÇÃO


O Maha Mrityunjaya Mantra é um Mantra doador de vida, possui um grande poder curativo. Doenças que são definidas como incuráveis pelos médicos são curadas por este Mantra, quando cantado com sinceridade, fé e devoção.

Maha = Grande    
Mrityun = Morte  
Jaya = Vitória
"O Grande Mantra da Vitória Sobre a Morte." 

Também é um Mantra para atravessar o evento morte com serenidade. É um Mantra de Shiva. Propicia ao praticante a vida, a saúde, a prosperidade, a paz, a satisfação e a busca da imortalidade. É, ainda, um Moksha Mantra, uma prece para conquistar a liberação do ciclo das encarnações.

No dia do nosso aniversário, vale repetir esse Mantra com fé em busca de uma vida longa e produtiva. Você também pode repeti-lo junto a um doente para acalmá-lo e eliminar sua dor física.



OM TRYAMBAKAM YAJAMAHE
SUGANDHIM PUSHTI VARDHANAM
URVA RUKAMIVA BANDHANAN
MRITYOR MUKSHIYA MAMRITAT

Este mantra começa por invocarmos a TRYAMBAKAM. Ao falarmos esta palavra, estamos chamando a atenção de Shiva sobre nós. Mais do que isto, estamos reconhecendo em Shiva, seu poder de manifestação da totalidade divina. Shiva é a vontade de Brahman manifestada. Ao dizermos OM TRYAMBAKAM, estamos invocando a capacidade de enxergar através de nosso terceiro olho.

Dizem que este mantra é rejuvenescedor, outorga saúde, riquezas, uma vida longa, paz, prosperidade e contentamento. Como é uma oração endereçada ao Senhor SHIVA, ao entoarmos este mantra, vibrações Divinas são geradas para repelir todas as forças negativas do mal, criando um escudo protetor poderoso.

É também um mantra protetor contra acidentes, infortúnios, um mantra para sermos libertados dos sofrimentos físicos, mentais e emocionais, dos medos da morte e de acidentes. As Escrituras comentam que a repetição constante deste antigo Mantra Upanishadico, purifica o coração e desperta a percepção ou terceiro olho, nos conduzindo a um nível de entendimento mais profundo.

A pronúncia correta dos sons do mantra são mais importantes aos praticantes, do que a sua tradução exata. Como música, a ressonância destes sons atrai a mente e a dirige a uma experiência interior. O significado literal do mantra é secundário.

Por outro lado, é importante conhecer o significado do mantra para desenvolver uma fé nele. O primeiro passo é aprender a recitar o mantra corretamente. Embora pareça meio longo, ele tem só trinta e três sílabas que podem ser aprendidas com um esforço modesto. Uma repetição lenta combinada com uma revisão do significado das palavras individuais, ajudará a lembra-lo.

Uma vez que o mantra seja aprendido, leve o significado para sua mente enquanto faz sua meditação diária, como um tipo de invocação em sua prática normal. Depois de acalmar o corpo e a respiração, entoe o mantra por 3, 27, 33 ou 108 recitações, e permita que sua mente se torne absorta pelos sons e ritmos de cada linha. Deixe o mantra puxar sua consciência ao centro do seu coração ou para o centro das sobrancelha, na altura do chakra da terceira visão.

Se for recitar o mantra para resolver um problema de saúde, focalize sua consciência no Plexo Solar (na altura da boca do estômago).


O SIGNIFICADO DO MANTRA "MRITYUNJAYA"

OM – O início de cada mantra. Palavra que traz a energia do mantra à manifestação.
TRYAMBAKAM - A palavra TRYAMBAKAM, Refere-se aos Três olhos do Senhor Shiva. “TRY” é o mesmo que “Três” e “AMBAKAM” quer dizer “olhos”.  Alguns pronunciam esta palavra como TRAYAMBAKAM, e o significado é o mesmo, "TRAYA" quer dizer "triplo". Estes três olhos ou fontes de iluminação, são representados pela Trimurti de Brahma, Vishnu e Shiva e “AMBA” também tem uma referencia à Mãe ou Shakti e "KAM" que refere-se ao Bom e Correto. Assim, quando pronunciamos, as palavras: OM TRYAMBAKAM, nós estamos manifestando a Presença de Deus, como Onisciente (Brahma), Onipresente (Vishnu) e Onipotente (Shiva).

O termo “Três olhos” significa a mais pura e profunda consciência do universo que impregna e transcende o tempo no presente, no passado e no futuro.

YAJAMAHE :  é uma oferta, sacrifício, adoração, veneração.  Adorando com Alegria. Nós oferecemos nosso sacrifício com alegria. Alguns traduzem para: “Cantamos em sua honra”.

SUGANDHIM : é um doce perfume/ uma fragrância agradável. Uma referência à alegria que temos de conhecer, enxergar e sentir a Poderosa Presença do Senhor Shiva, que nos envolve com a fragrância de Seu perfume.  Quando o nosso terceiro olho desperta, tudo torna-se perfumado, porque tudo passa a ser visto como sagrado.

PUSHTI : é o mesmo que nutrir; o suporte a tudo o que existe; a prosperidade.

VARDHANAM : Aumento, incremento, fortalecimento. O aumento da prosperidade, do auxilio divino, da saúde e do bem estar.

URVARUKAM : Um tipo de pepino, que no passado da Índia, era conhecido como fruto de uma trepadeira. Esta trepadeira emaranhava-se em outras plantas, unindo-se a elas e tornando-se um obstáculo para o crescimento do pepino, que sofria para libertar-se e cair.

IVA: assim como. desta forma.

BANDANAAM : impotente e sem forças, preso no cativeiro.

MRITYOR : da morte, das doenças e dos obstáculos.

MUKSHIYA : uma armadilha.

MAAMRITAAT : livra-nos da morte, dê-nos a vida eterna.

Folcloricamente, ele é traduzido assim:
“Adoremos o Senhor Siva (Quem possui três olhos), quem é sagrado e nutre todos os seres. Do mesmo modo como um pepino maduro se solta do ramo que está ligado tão logo amadureça, que sejamos liberados da morte (do corpo mortal), nos sendo concedido a realização da natureza imortal”.

Sejamos felizes!

segunda-feira, 20 de maio de 2024

Semana de 20/05/24 - SOL EM GÊMEOS, LUA CHEIA E ASPECTOS MARAVILHSOSOS NO CÉU!

 

O clima é de mais entusiasmo e otimismo. Vênus caminha juntinho com Júpiter ali no final de Touro e em harmonia Netuno. O Sol estava em conjunção também, mas hoje ingressa em Gêmeos. Chegou a vez dos geminianos!

Temos um excelente período pra pensarmos em formas de expandir horizontes: seja através de viagens, contatos, colaboração, estudos, aprendizados ou parcerias. O cuidado é apenas com os excessos, porque pode parecer que podemos tudo!

O diálogo desses planetas com Netuno em Peixes nos deixa mais inspirados, sim! Vocês estão sentindo? Eu estou! É hora de investir em sonhos, fé, solidariedade... vamos aproveitar pra abrir o coração. E colocar tudo em prática, porque Júpiter se despede de Touro. O Sol vitaliza essa busca, emprestando clareza aos sonhos de Netuno e facilitando a busca por caminhos mais viáveis. 

A partir do dia 20, com o Sol em Gêmeos, as trocas, a comunicação, os acordos e as negociações ganham evidência. As ideias se fortalecem com os intercâmbios. 

Além de tudo isso, o Sol vai se harmonizar com Plutão! Fala sério, que céu mais poderoso! Essa harmonia favorece os aprofundamentos, as compreensões transformadoras e bons diagnósticos. 

Vamos ficar de olhos nas sincronicidades, nos encontros mágicos, investir nas artes, nas atividades culturais. Esse clima favorável e prazeroso permanece e com a chegada da Lua cheia no dia 23 de maio. Nesse dia, a Lua em Sagitário inspira alegria e desejos de aventura. 

Os aspectos positivos de Vênus, Sol, Júpiter, Netuno e Plutão parecem indicar que o que quer que tenha florescido trouxe consigo alegria, entusiasmo, realização e prazer. Nesse mesmo dia, Vênus também ingressa em em Gêmeos. 

Ou seja, bora cultivar leveza, simpatia e expressividade! Bora também conversar, que o que Gêmeos mais gosta! 

Desejo uma linda semana pra todos nós!

sábado, 18 de maio de 2024

O SIMBOLISMO DO PAVÃO


O pavão é a ave do Paraíso. Pela impressionante harmonia de suas formas e pela exuberância de suas cores, o pavão é um animal associado à beleza e à perfeição. Essas aves também são conhecidas por comer plantas venenosas e serpentes sem apresentar quaisquer problemas, fazendo com que suas penas simbolizem incorruptibilidade, imortalidade, triunfo sobre a morte, capacidade de regeneração e transmutação.

O pavão é a “ave dos cem olhos”. Para os cristãos, o padrão de suas caudas adquiriu um significado de omnisciência, o Deus que tudo vê. O desenho da sua cauda representa as estrelas e o universo. Sua coroa semelhante a uma estrela de seis pontas simboliza sua magnitude e poder. É símbolo da eternidade, da imortalidade e da totalidade. 


O pavão é também o símbolo da beleza, da prosperidade, da realeza, do amor, da compaixão, a alma e a paz. Dizem que encontrar uma pena de pavão traz boa sorte, harmonia, serenidade e paz de espírito. Na mitologia grega e romana aparece como a ave protegida da deusa Hera (ou Juno, para os romanos). De acordo com o mito, ela colocava "olhos" nas penas dos pavões, simbolizando o conhecimento de quem tudo vê e a sabedoria dos céus. 


Considerado animal sagrado na Índia, muitas dessas aves andam livremente pelos templos hindus e são alimentados por seus sacerdotes. Pela sua beleza ganhou um lugar importante quer nos templos asiáticos, quer nos jardins reais e paços ducais, quer mesmo nas lendas muçulmanas, às portas do Paraíso onde engoliu o próprio Diabo. 

Está presente em muitas manifestações das divindades hindus. Está associado à deusa Lakshmi: suas penas, representam suas qualidades: bondade, paciência, prosperidade e boa sorte. Sarasvati, a deusa do conhecimento, da fala, da poesia, da música, dos estudos e da sabedoria monta um pavão. 


Segundo a lenda, certa vez, o mais formoso dos pavões, ao ouvir encantado Krishna tocar sua doce flauta, ofereceu-lhe de presente a sua mais bela pena. Krishna fez uma coroa, que a usava como símbolo do domínio da vaidade e da luxúria, pela força e pela luz da consciência. A pena de pavão na cabeça de Krishna também nos lembra que a verdadeira beleza está no Conhecimento de Deus.


No Budismo, o pavão simboliza a pureza e as suas penas são usadas em cerimônias de purificação.  O pavão representa um “bodisatva”: aquele que transcende os venenos da inveja, raiva e ciúmes, é capaz de conviver entre as pessoas ajudando-as a obter a iluminação, sem se deixar contaminar pelo universo mundano.  Os budistas associam penas de pavão com abertura, pois estas aves exibem tudo ao abrirem suas caudas. Os budistas também atribuem enorme significância ao fato dessa ave se alimentar de plantas venenosas, representando a habilidade de crescer face ao sofrimento.


Durante o inverno, todos os anos, as penas do majestoso pássaro caem para que nasçam outras novas, recuperando seu total esplendor durante a primavera. Por isso o pavão se tornou símbolo de renovação, imortalidade e renascimento para muitas culturas. Na China e no Vietnã o pavão é signo de fertilidade e prosperidade. O povo chinês acreditava que um olhar do pavão poderia engravidar uma mulher.


Na tradição sufi, ramo esotérico do islamismo, o pavão possui um importante papel iconográfico. Os sufis contam que quando a Luz se manifestou e o Self (o Eu Superior) viu sua imagem refletida num espelho pela primeira vez, ele viu um pavão com sua cauda aberta. Uma bonita história que tenta traduzir a magnificência e a pureza do Eu Superior através da figura do pavão. Ainda segundo o sufismo os “olhos” presentes na cauda da ave representam virtudes espirituais irradiadas pelo “Olho do Coração”.


No Xamanismo, o Pavão simboliza bondade, generosidade e magia. Ele possui um antigo conhecimento de magia e é capaz de trabalhar a energia para criar tudo o que se pretende. No Xamanismo Ancestral existe o Clã do Pavão, que rege o elemento Fogo. 

Já a Teosofia considera o pavão como um “Emblema da inteligência de cem olhos e, também, da Iniciação”. É a ave da Sabedoria e do Conhecimento Oculto, segundo o Glossário de Helena Blavatsky.  O "olho" da pena do pavão é associado à glândula pineal, fazendo dele um símbolo da intuição e dos dons extra-sensoriais. 


O pavão branco simboliza o senso da bondade, generosidade e capacidade de abarcar a vida. De acordo com o site My Power Animals, a Ordem do Pavão Branco é uma antiga ordem de xamãs que descendem do planeta Vênus. Esses pássaros são vistos como protetores, já que eles guardam o templo da ordem em Vênus e gritam para alertar quando alguém está se aproximando.

Os pavões brancos eram usados para representar Jesus Cristo. Isso acontece porque o pavão é considerado um símbolo da morte, ressurreição e vida eterna, conceitos diretamente associados a Cristo. O pássaro também remete a atributos de Cristo, como realeza, glória e incorruptibilidade. Sua cor branca representa seu espírito santo. Representa o despertar, a espiritualidade e a luz, juntamente com a pureza de intenções de uma pessoa e sua fé.


Recomendo a leitura: O QUE SÃO ANIMAIS DE PODER.
As belas ilustrações foram selecionadas do Deviantart e estão acompanhadas dos devidos créditos aos autores.

domingo, 28 de abril de 2024

A DIVINA MÃE KWAN YIN NA IMAGINAÇÃO DE VÁRIOS ILUSTRADORES

Ilustração daqui.

Olá amigos!
Muitos ainda não conhecem a Divina Mãe Kwan Yin, Deusa da Misericórida e da Compaixão. 

Ela existiu como pessoa, igual a todos nós. É uma Mestra Ascensionada. Também conhecida como Quan'Am (no Vietnã), Kannon (no Japão), e Kanin (em Bali). Ela cobre as planícies alagadas do Oriente, do Egito à China. E é venerada em todo o mundo por milhões de pessoas, que a consideram o símbolo máximo da pureza espiritual.

Esta Deusa enquanto viveu, percorreu o mundo, viu muita dor e então, jurou proteger e amparar todos os humanos até que o último sofrimento acabe. Tornou-se, ela própria, a incorporação da compaixão. Ela nos diz que se você cantar seu mantra diariamente, cultivará a compaixão que curará o mundo das mais dolorosas feridas. Seu mantra é OM MANI PADME HUM.

Seu nome significa "aquela que ouve os lamentos do mundo". Dizem que ela vive numa ilha paradisíaca de P'u T'o Shan, onde ouve todas nossas preces. Todos que trabalham com sua energia, sabem o quanto ela é doce e sutil, mas também o quanto é poderosa. Somente a menção de Seu Nome alivia o sofrimento e as dificuldades. Mesmo tendo alcançado a iluminação, Ela optou por permanecer no mundo dos homens.

Muitas vezes Mãe Kuan Yin é representada com um dragão, o símbolo mais antigo da alta espiritualidade, a sabedoria, a força e os poderes divinos de transformação.

Outras vezes é representada segurando em cada mão um símbolo cósmico diferente ou expressando uma posição ritual específica (mudras). Isto caracteriza a Deusa como a fonte e alimento de todas as coisas. As mãos dela formam freqüentemente o Yoni Mudra, simbolizando o útero como a porta para entrada para este mundo pelo princípio feminino universal.

Outras vezes, Kuan Yin é representada sentada sobre uma flor de lótus. Nas pinturas dos artistas tibetanos, linhagens de Budas e homens santos também aparecem flutuando sobre flores de lótus - uma representação dos tronos da suprema espiritualidade. 

Na teologia Budista Kuan Yin é algumas vezes representada como capitã do "Barco da Salvação", guiando as almas ao Paraíso Oeste de Amitabha, a Terra Pura, a terra das bençãos, onde as almas podem renascer para continuar recebendo instruções até alcançar a iluminação e a perfeição.

Ela é também uma das quatro Bodhisattvas (P'u-sa em chinês), junto com Samantabhadra, Kshitigorha (Di-cang) e Manjushiri (Wen-shu) e em seu aspecto masculino se identifica com o Bodhisattva Avalokiteshvara, a quem em Tibetano se chama Chenresi: "Quem ouve e chora o mundo".

Exatamente igual a Ártemis, Kuan Yin é uma deusa virgem que protege todas as mulheres e crianças. A simplicidade que esta Deusa da Clemência gera ao seu redor e entre seus devotos, é de um forte sentimento de fraternidade universal. Seus padrões morais e humanos tendem a nos conduzir para nos tornarmos mais compassivos e misericordiosos.

Kuan Yin surge em nossas vidas para dizer que está na hora de alimentarmos nossos corações com a compaixão. Compaixão pelos outros e também por nós mesmos. Você se importa pelos sentimentos dos outros? Ou não se interessa? O que lhe afasta da compaixão? Tem medo de abrir seu coração? 

Compreende-se por compaixão a capacidade de ouvir, de dar aos outros e a si mesmo um espaço para experimentar tudo que deve ser experimentado e sentido. Ter compaixão não é simplesmente sentir pena, sentir dó. É conseguir sair do próprio umbigo, se colocar no lugar do outro e procurar fazer algo para ajudar.

A jornada da vida nos presenteia com inúmeras vivências que nos levam a desenvolver a compaixão por nós mesmos, assim como pelos outros. É a compaixão que levará o mundo lentamente, mas inevitavelmente, a se tornar um lugar melhor.

Mãe Kwan Yin nos trouxe a terapia vibracional chamada MAGNIFIED HEALING (Cura Magnificada) para nos ajudar a trabalhar as energias do perdão e da compaixão, que curam o carma. Recomendo a todos que façam este curso, normalmente um workshop de apenas um dia. É um curso iniciático, para quem está no caminho espiritual. Vale pesquisar mais e descobrir onde este curso é realizado num local próximo de você. Saiba mais sobre o Magnified Healing no site de nossos parceiros, o ANIMA MUNDHY.

As ilustrações a seguir foram colhidas no Google, deixo abaixo de cada uma o link de origem. 

Que a Bem-Amada Mãe Kwan Yin nos cubra a todos com seu manto de AMOR!

Ilustração daqui.

Ilustração daqui.

Ilustração de minha própria autoria.

Moonlight by Ichiro Tsuruta

Autor desconhecido

Ilustração daqui].

Ilustração de Cláudio Gianfardoni.

Ilustração daqui.

Ilustração daqui.

Ilustração daqui.

Ilustração daqui.

Ilustração daqui.

Ilustração daqui.

lustração daqui.

autor desconhecido

Ilustração daqui.

Ilustração daqui.

Ilustração daqui.

Ilustração daqui.

Ilustração daqui.

Ilustração daqui.


Ilustração daqui.

quinta-feira, 25 de abril de 2024

PARA QUEM NASCEU ENTRE 1991 E 1994

 


A geração que nasceu no início dos anos 90 (entre os anos de 91 e 94) traz a conjunção de Urano e Netuno em seu mapa natal. Essa conjunção ocorre bem raramente, uma vez a cada 172 anos.

Anteriormente, Urano e Netuno se encontraram em 1821. Como Netuno só foi descoberto em 1846, esta última conjunção é a primeira a acontecer com a participação da humanidade. Os aspectos envolvendo os planetas transpessoais (Urano, Netuno e Plutão) enfocam as dimensões geracionais e sociais da vida. As atitudes e experiências da pessoa são intimamente associadas a mudanças sociais.

Vale lembrar que com este aspecto planetário, as energias estão unificadas. Cada um vai expressar essas energias de modo muito pessoal, para o bem ou para o mal, dependendo de outros fatores no mapa astrológico e do nível de consciência.

Urano é um planeta que fala de revolução, originalidade, independência, inovação, tecnologia, mudança e renovação. Já Netuno fala de questões transcendentais, espiritualidade, sonho, fantasia, imaginação. Urano representa o espírito revolucionário. Netuno representa o sonhador visionário.

Os jovens que nasceram no período em que essa conjunção estava vigente no céu apresentam maior identificação com a mente coletiva e com a consciência grupal. Na via positiva, contam com uma noção norteadora de responsabilidade social e consciência de uma participação na comunidade. Grande sensibilidade emocional e mental, associada e uma faculdade imaginativa-intuitiva. Os conceitos de fraternidade refletem os ideais de Urano e Netuno, como uma espécie de misticismo revolucionário.

É uma geração de antenas ligadas para viver a espiritualidade com mais liberdade, capaz de desfazer os velhos padrões do líder todo-poderoso e suas “ovelhas seguidoras”. Aliás, a liberdade e os direitos individuais são altamente prioritários. Há potencial para uma nova compreensão da autoridade e poder na sociedade.

Por tudo isso, nos anos futuros, deverá emergir uma nova política que reflita o aumento dos direitos e dos poderes de cada cidadão. Um período em que o desenvolvimento espiritual (Netuno), encontra o desenvolvimento científico (Urano), com avanços na compreensão das forças da natureza e na exploração da mente.

Essa geração é imbuída de um espírito mais consciente de unidade e solidariedade humanas. Quando vieram ao mundo já havia a internet e todo o conhecimento que a rede disponibiliza. Esses jovens têm acesso rápido acesso rápido e fácil a conhecimentos que antes eram disponíveis apenas para especialistas e iniciados. Vivem um período de crescimento para a energia electromagnética e a mídia, bem como para todas as formas de comunicação eletrônica. Junto com tudo isso ocorre uma revolução espiritual, com o florescimento de interesses esotéricos.

Alguns podem inclusive desenvolver clarividência, poderes telepáticos e utilizá-los em seu trabalho. O trabalho com tecnologia avançada ou tecnologia ligada à comunicação é outra possibilidade. Outros podem sentir profunda inquietação e necessidade de transcender a
si mesmos, por algum tipo de interesse espiritual. Outros ainda podem abandonar estruturas seguras para alcançar seus ideais. Todos esses processos aumentarão a consciência espiritual.

Para concluir: Urano é o regente de Aquário e essa geração veio para consolidar e contribuir na grande transição que vivemos, rumo à Era de Aquário. Inclusive, esses jovens se tornarão especialmente influentes no período em que Plutão estiver em Aquário.

Caso você, que esteja lendo esse artigo, tenha essa idade e essa conjunção em seu mapa, deixo um conselho: pesquise sobre a Era de Aquário, esteja consciente de sua missão. Você veio ajudar a quebrar com velhos paradigmas e ajudar a construir um novo mundo, uma nova civilização.

Sejamos felizes!

Marcelo Dalla
Formado em Comunicação pela ECA – USP. 
Estuda astrologia há 30 anos e atua profissionalmente como astrólogo no Brasil e em Portugal há 15 anos. Professor de Astrologia, especializado em Astrologia Cármica, Terapeuta Florais de Bach e Xamanismo. Artista gráfico e criador de mandalas. 
Publicou em Portugal os livros MANDALAS MÁGICAS e MANDALAS SIGNOS DO ZODÍACO, ambos pela editora Verso de Kapa.
Mantém uma coluna diária de astrologia no portal IG e escreve para o movimento @naturalvibe.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...