domingo, 24 de outubro de 2010

ALGUMAS FOTOS E QUESTÕES SOBRE A 29ª BIENAL DAS ARTES


Amigos!
Há algumas semanas atrás visitei a 29ª Bienal de São Paulo e trago algumas fotos da exposição pra vocês. Trago também alguns questionamentos. Devo ser sincero: salvo uma ou outra obra de arte que realmente impressiona, traz algo de novo e de belo, o resto é simplesmente o resto.

Lógico, não quero desmerecer a iniciativa do projeto. Levar arte pras pessoas com uma big exposição gratuita é sempre louvável. Mas fiquei com a impressão de que é muito fácil ser artista nos tempos atuais. Não importa tanto a técnica, mas sim o conceito. Basta ter uma idéia “inteligente” pra montar uma instalação, reunir alguns objetos, dizer que é arte e pronto.

Vi muito vídeo (na verdade, depois de certo momento, nem entrava mais nas salas de vídeo), muita fotografia, instalações cenográficas com objetos históricos e peças de antiquários. Cadê as telas com pinturas lindamente executadas? Cadê as esculturas? E as instalações surpreendentes? Algumas poucas e só.

O tema deste ano foi a arte política. Dizem os curadores que “é impossível separar a arte da política”. Não concordo. É possível sim e na minha modesta opinião, até prefiro. Assunto polêmico esse...

Muuuuuuuuuuuuito já se refletiu e se filosofou a respeito do papel da arte e quem sou eu pra discutir com filósofos, pensadores e especialistas. Salve o livre-arbítrio e a liberdade de expressão! Mas pra mim (pra vocês pode ser diferente, que fique bem claro) a arte deve inspirar, encantar, trazer beleza, surpreender, mostrar saídas e soluções, ou no mínimo levantar questões.

De fato, saí de lá com muitas perguntas:
- Vídeos monótonos são arte?
- Objetos de antiquário são arte?
- Uma mesa posta com toalhas e cartas de jogo é arte?
- Uma instalação com plásticos dependurados e folhas de jornal no chão é arte?
- Cadeiras enfileiradas com os pés cortados, de frente pra uma parede branca são arte?
Tudo bem, essas instalações por certo estavam inseridas dentro de um contexto que não entendi.

Enfim, digo que vale visitar a exposição que segue até 12 de dezembro e tirar suas próprias conclusões. Repito, não quero desmerecê-la.  A arte legítima também está lá, entre tanta coisa duvidosa.




Fotos da minha amiga Daniela Sarmento

10 comentários:

angela disse...

Também tenho minhas duvidas, inclusive se é possível a arte estar desvinculada do momento histórico-político-filosófico em que ela é produzida, no meu entender não pode então para que o destaque? Cabe a nós entender a representação que ela faz ou se é só ora panfletista.
Obrigada pelo apoio e espero que sua aula tenha sido legal. Quando puder me dê um oi para que possa ir vê-lo.
beijos

marcelo dalla disse...

Angela!!! Concordo com vc. Arte política: tema meio chato esse, né não???
Tô sempre aqui querida, é só dar um alô e aparecer. Tô te esperando!!! Tb quero saber como foi o lançamento da revista.
bjossss

Astrid Annabelle disse...

Outro dia Marcelo eu vi em um canal pago uma reportagem grande a respeito da Bienal...e você me permite ser verdadeira...me senti ofendida. Ofenderam meus sentidos.
É claro que existem algumas exceções.
Mas meu amigo, arte para mim lida com o belo, com o encanto, com a linguagem da alma...
Sugestão: mudem o nome...arte não!
Lembra da história do Rei que por falta de roupa andou nu e convenceu a todos que vestia uma roupa maravilhosa...
Cruz credo...desculpe as palavras...mas é isso que eu sinto.
E me perdoem se ofendo alguém...não é essa a minha intenção.
Ainda por cima misturar arte com política...socorro!!!!
Por isso que você é meu artista prediledto!!!! Encanta, passa mensagens de luz, da alma.
Arte é arte... o resto é resto.
Um beijo querido.
Astrid Annabelle

Astrid Annabelle disse...

predileto...me empolguei e escrevi errado...tava demorando!!!:)))))

marcelo dalla disse...

Astrid querida! É isso mesmo, tb sinto isso!!! Eu aqui todo cuidadoso pra escrever e vc foi direta ao ponto. Essa analogia com a história do Rei está prefeita. A ARTE (maiúscula) deve lidar com a linguagem da alma.

Yes!!!!
E me sinto honrado por seu elogio! :)))
grande bjo

Glorinha L de Lion disse...

Sinto o mesmo que a Astrid, como se estivessem zombando da minha inteligência...aqui no Mac, tem uma exposição permanente tb assim: uma bola de ferro no meio do chão. Isso é arte? Um pia...isso é arte? Ah, por menos que a gente entenda de arte, tem certas coisas que são ofensivas...façam-me o favor. Muito bom esse post. beijos.

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Gostei do seu ponto de vista. Hj em dia o conceito de arte banalizou um pouco, creio eu.
Vejo mta gente falando que produz arte com coisas totalmente sem sentido (pelo menos vejo assim). Esses dias mesmo, uma moça apareceu com um papel em branco, escrito uma letra E... e disse que era arte. confesso q não consegui entender a mensagem.

e amanhã irei a Trienal de Arte de Nagoya, acho q vou me fazer essas perguntas que vc se fez várias vezes.

uma boa semana!

erika disse...

Marcelo,
Por aqui a unanimidade está presente!
Arte? Que arte? Realmente me achava uma ET, será que eu não entendo de arte? A sensação de irritação em ir a uma exposição e ver isso que chamam de arte, realmente não me estimula!
Gosto de coisas belas, que aguçam meus sentindos e me deixam extasiadas com a criação do homem!
Fiquei consolada ao ler seu comentário sobre tudo isso!
Grande beijo!

marcelo dalla disse...

OLá amgios!!! Tô vendo que vcs concordam comigo. Que bom! Sinal de q eu não tô "maluco". rsrsrsrs

Uma boa semana pra todos nós!!!

António Rosa disse...

Como o compreendo!!! Abraço.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...