sexta-feira, 14 de maio de 2010

O POEMA DO MEIO

Bom dia, poema, há quanto tempo não lhe vejo!
Estava com saudades, você é sempre bem vindo.
Será minha praticidade concreta
Ou minha demasiada fantasia que lhe afastou?

Pois seja para mim o caminho do meio:
A sensibilidade que me falta nas questões redundantes
E a técnica sublime de formatar devaneios.

Ensina-me a equilibrar na corda bamba da vida,
A brincar com a força das palavras,
A abrir mentes e corações,
A fazer sorrir ou chorar.

Minha caneta lhe ama, meu teclado lhe quer.
Venha tomar um café comigo, fique para o almoço.
Beije minha boca, esteja em meu sorriso,
Venha morar em minha casa,
As paredes carecem de cor.

Sinta-se livre, mas se quiser ficar...
Aqui terá casa, comida
E eu terei minha alma lavada.

(E vejam a maravilhosa resposta que Livinha, do blog PALAVRAS E POEMAS, deixou nos comentários:)

Bom dia Marcelo!
Não sabes que não te largo,
que estou contigo entre laços
entre sonhos, mesa e banho?

Nas horas mais que distantes
te sou presença, contante,
entre risco e rabiscos dos teus sonhos...

Até mesmo quando estancas,
faço de mim tua âncora,
e te promovo o pensar...
Sou uma folha que cai,
uma brisa que se esvai,
sou tua vida,
teu lar...

Por cada fruto que colhes,
borboletas que perpassam
ou papéis caído ao chão,
nunca esqueça meu querido,
caminho e velejo contigo,
nas asas da inspiração...

20 comentários:

HAZEL disse...

Que bonito e criativo, Marcelo!!
És o homem dos mil talentos!

Livinha disse...

Bom dia Marcelo!
Não sabes que não te largo,
que estou contigo entre laços
entre sonhos, mesa e banho?

Nas horas mais que distante
te sou presença, contante,
entre risco e rabiscos dos teus
sonhos...

Até mesmo quando estancas,
faço de mim tua âncora,
e te promovo o pensar...
Sou uma folha que cai, uma brisa
que se esvai, sou tua vida,
teu lar...

Por cada fruto que colhes,
borboletas que perpassam
ou papéis caído ao chão,
nunca esqueça meu querido,
caminho e velejo contigo,
nas asas da inspiração...


Parabéns, você arrasou!
Saudade daqui...
Bjs
Livinha

marcelo dalla disse...

Hazel querida!!! Vc tb é muito criativa, sou fã numero um do seu blog e do seu senso de humor.

bjos

marcelo dalla disse...

Que lindo, Livinha!!!!!!!!! Uhuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu!!!!
Não resisto vou postar essa maravilhosa resposta abaixo do poema.

saudades de vc, viu?
bjos

Livinha disse...

Ao menor sopro do vento
eu despenco
como folha de outono e caio
ao chão.
Você sabe como é que é,
na tua sensibilidade impar
poesia é imã, somos seres
magnetos e nos arrastamos
até onde eles estão.
Eu te aplaudo de pé!

Fica com Deus Celito.
Obrigado de coração pelo carinho
tão recíproco.
Bjs
Livinha

marcelo dalla disse...

Livinha, o post ficou lindo com a sua resposta. Amei!!!!!!!!!
Fique com Deus vc tb.
bjos

João Fco. Viégas disse...

Esses poemas as vezes são mesmo uns fujões! Mas que bom que vez outra dão as caras, e escolhem as melhores mãos para vir ao mundo!

Sempre que um desses poemas insanos se apresentar a ti, não deixe de dividir, pois ele não se acaba, o contrario é verdadeiro, ele se replica!

Marcos Campos disse...

Que ótimo!
Parabéns para os dois poetas, que escrevem coisas simples e leves, dessas que a gente lê sem se entediar...
Abraço!

ANDREA FRANZONI disse...

AMEI O POEMA....EU ADORO POEMAS..BJOS...BOM FINDI SEMANA

marcelo dalla disse...

João: Pois é, às vezes ele some... mas quando vier dividirei sim, ainda mais depois de um incentivo como o seu!

Marcos: tem poema que a gente não sabe onde quer chega né?

Andrea: O poem te muitos amantes... mas não sou siumento. rsrsrs

bjos e abraços, grato pelo carinho!!!

Yoyo Pizy disse...

Adorei esse diálogo!
Bjos

Astrid Annabelle disse...

Achei super interessante Marcelo!
Naturalmente belo!
Beijo
Astrid Annabelle

Sandra Botelho disse...

Lindo demais.
Bjos achocolatados

Rafaela Andrade disse...

Minha alma adora poemas, mas para escrever precisamos de inspiração, né?
Já votei no Dalla Blog. Beijos!

Marjory disse...

Esse blog é um vício... necessidade de ter e ter mais ainda...
Quando seus pensamentos penetram em meus sentimentos, um êxtase embriagante domina minha alma e meu mundo. Há uma conexão com o além. Coisas que não se pode entender. Apenas sentir... apenas aceitar.
Beijos!

Thania disse...

Dalla,
Ultimamente ando sem inspiração para poetar, nem prosa poética estou conseguindo fazer.

"Será minha praticidade concreta
Ou minha demasiada fantasia que lhe afastou?"

Adorei o poema e quem sabe eu reencontre a poesia? :)

bjks e um iluminado fim de semana ...

Mary_Flor disse...

Que lindo Marcelo.
És muito...muito criativo!
Muitos aplausos pra ti.
Beijos!
ótimo fim de semana

Mary_Flor disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
marcelo dalla disse...

Thania: Quem sabe este poea não lhe contagia? Tb preciso, sinto falta de poetar!!!

Mary: Grato pelo carinho... que bom q vcs gostaram!!! :)

bjos e um lindo fim de semana pra todos nós!

Rosa Sabah disse...

Se eu dizer q chorei ao ler seu poema ,vc acredita?Há tempos não escrevo meus poemas e me emocionei ao lê "O Poema do Meio"...vc é muito especial querido!:)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...