domingo, 3 de maio de 2009

ESCRAVO DAS PALAVRAS

É isso: as palavras vivem por si próprias, estão a falar umas com as outras, a andar umas com as outras, a piscar o olho, a ter inteligência, sugerindo que se reportam a um novo universo. O que acontece comigo é que estou sob o domínio das palavras. São elas que inventam o que eu digo a cada fração de segundo. Escrevo, escrevo, escrevo e não vejo saída. Elas comandam minhas mudanças de humor, meus desejos mais inconscientes, minha própria mente.

Socorro! As palavras tem vida própria!
Por que elas escolheram a mim? Justo a mim? O que será que pretendem? Devo lutar com todas as forças ou deixar que façam de mim o que bem quiserem? Sou de fato um escravo agora, mas um escravo lúcido, consciente! Sei que no momento não resta outra alternativa senão colaborar. Com jeitinho, aos poucos dá pra ir se infiltrando e fazendo amizade com a diplomacia, a simpatia. Escolhendo as melhores influências até por fim conseguir cooperação, um tratado de paz, sei lá, qualquer coisa que o valha. Confesso que até tomei gosto por muitas. Tento a qualquer custo me cercar sempre das melhores palavras, não vou descansar até que as palavras de mais belo som e significado fiquem à minha volta e me protejam. É o mínimo, já que durmo, sonho, trabalho, convivo com elas em todos os lugares. Se me alimento delas, preciso ter a chance de poder optar pelas mais saborosas. Vou seguindo nesse convívio obrigatório e tentando entender o que afinal elas querem. Além de dominar o mundo, o que mais falta? Será que já fizeram outros escravos ou eu sou o único? Por que eu? Por que eu? Inclusive acabaram de perceber minhas intenções de motim e ordenam que eu pare.

(Pausa)
Ufa! Algumas são minhas amigas, compartilham de boas intenções. São essas que fazem guarda nesses momentos de desabafo onde tento pedir ajuda. É preciso tomar sempre muito cuidado. Existem espiãs espalhadas por toda a parte. Alguém pode imaginar o pesadelo de ser torturado por palavras bandidas, maldosas e sem qualquer piedade? Não desejo isso nem ao meu pior inimigo. Sou forte, sou um escravo intransigente, não me entrego assim tão fácil. Tem coisas que eu não faço mesmo, nem debaixo das piores violências. Outro dia levei cem chibatadas da palavra sadomasoquismo. Aquela outra, a miséria, me fez passar dez dias a pão e água. Tremo nas bases, fico branco só de pensar no que muitas outras são capazes. Tento pedir ajuda mas não sei como... Algumas palavras pessimistas se aproximam. Preciso disfarçar...

(Pausa)

As que andam em bando são as piores. Mas coitadas, as palavras não são diferentes de nós. Algumas bem intencionadas, outras nem tanto. Algumas vãs, perdidas, outras cheias de poder positivo. Outras ainda podem causar confusões enormes, possuem um poder de destruição infinito. Por isso aviso: cuidado com as palavras! Saibam bem com que bicho estão lidando. Vejam o que elas fazem comigo. Não tenho mais sossego, me pegaram pra Cristo. Só resta aguardar com ansiedade o grande dia que se aproxima. O momento em que me levarão para conhecer a grande líder. Só então será desvendado o grande mistério, vou descobrir o que planejam e barganhar uma carta de alforria. Com sorte me deixarão seguir em paz. É só isso que peço: paz! Se pudesse escolher uma palavra pra me acompanhar o resto da minha existência, escolheria essa. Paz. De todas, a mais simpática e benfazeja. Olha que eu digo de carteira, conheço muito bem todas elas.

As palavras agora vão trocar a guarda. Esses instantes de impasse são terríveis, posso não me dar bem com as próximas que vão me vigiar. Por favor, preciso de socorro, não sei mais a quem pedir ajuda. Nem a neurolinguística pode me salvar. Tenho que me calar agora... já fazem a troca da guarda. Sempre resta tentar uma aproximação, fazer um contato amistoso (meu estoque de argumentos é enorme). Ops, já vi que não tenho chance dessa vez. Uma delas é o
Fim

4 comentários:

Kyria disse...

Puxa, tô aqui tentando me lembrar de uma peça infantil que assisti com os meus filhos sobre as letras do alfabeto, foi muuito bom e chegávamos até a criação das palavras.
Muito bom o seu texto. Abraços

cristinasiqueira disse...

Oi Dalla,

Feliz por sua carinhosa indicação.
Vou guardar este presente envolto em afeto e depois do dia 10 de maio vou colocá-lo numa vitrine muito especial.
Adorei o fluxo de palavras.Lúdico,alegre.Nem parece que vc é escravo delas.

Com carinho,

Cris

REGGINA MOON disse...

Dalla,

Fiquei encantada com seu Blog.Estava visitando meu querido amigo "de Sofia" e acabei vindo aqui em viagem.Sou sua seguidora...
Maravilha!Parabéns!

Abraços carinhosos,

Reggina Moon
Verso & Prosa

Sara disse...

Dalla
Adoro ler o seu blog...
Admiro a sua criatividade e a maneira leve e objetiva que você tem para expor as suas idéias e opiniões.
Parabéns!
Sara.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...