sábado, 18 de agosto de 2012

CONSIDERAÇÕES SOBRE O "GRANDE PLANO" E O CALENDÁRIO SIDERAL por Ramatis


"O Grande Plano, ou MANVANTARA da escolástica oriental, que os hindus também classificaram de uma respiração ou pulsação completa de Brahma, ou de DEUS, é considerado o tempo exato em que o Espírito Divino 'desce' até formar a matéria e depois a dissolve novamente, retornando à sua expressão anterior.

Um grande plano abrange a gênese e o desaparecimento do Universo exterior e compreende 4.320.000.000 de anos calendário terreno, dividindo em duas fases de 2.160.000.000 anos, assim denominadas: o 'Dia de Brahma", quando Deus expira ou se processa a descida angélica até atingir a fase derradeira da matéria ou 'energia condensada'; a "Noite de Brahma', quando Deus então aspira ou dissolve o cosmo exterior constituído pelas formas. Assim, as duas fases perfazem o total de 4.320.000.000, em cujo tempo Deus completa uma Pulsação ou Respiração, subentendidas pela mentalidade ocidental como um Grande Plano na Criação Eterna.

Aquilo que para Deus é instantâneo e se sucede no tempo simbólico de um segundo terrestre, para nós, suas criaturas, abrange bilhões de anos. O Universo é a sucessão consecutiva de 'Manvantaras" ou 'Grandes Planos", a se substituírem uns aos outros, nos quais formam-se também as consciências individuais, que nascidas absolutamente ignorantes e lançadas na corrente evolutiva das cadeias planetárias, despertam, crescem expandem-se, absorvem o 'bem' e o 'mal' relativos às faixas ou zonas onde estacionam e depois conscientes do seu próprio destino, atingem o grau de angelitude.

Deste modo, os espíritos angélicos, como consciências participantes do Grande Plano, passam então a orientar e a guiar aqueles seus irmãos, almas 'infantis' que vão surgir no próximo Grande Plano ou Manvantara vindouro. Esta é a Lei Eterna e Justa: os 'maiores' ensinam os 'menores' a conquistarem também sua própria Ventura Imortal.

A consciência espiritual do homem, à medida que cresce esfericamente, funde os limites do tempo e do espaço para atuar noutras dimensões indescritíveis. Abrange, então, cada vez mais, a magnificência real do Universo em si mesma. Se transforma em Mago a criar outras consciências menores em sua própria Consciência Sideral.

Os diretores do Sistema Solar, ou do berço da Terra, também precisam situar-se na ideia de 'tempo' e de 'espaço' para interferir no momento justo das necessidades de reajuste planetário e intensificação espiritual das humanidades dos orbes sob sua direção. Eis, pois, o sentido das Astrologia! Ela é o calendário Sideral do orbe para assinalar os eventos excepcionais em perfeita concomitância com o calendário do homem.

A Astrologia, em verdade, é o espírito da Astronomia, que se manifesta pela sua influência fluídica e magnética na composição de signos, situações de astros e conjunções planetárias. Como um calendário Sideral, que limita um 'tempo' dentro do mesmo ciclo de criação e dissolução do Cosmo material, facilita os Diretores do Sistema Solar prever o momento em que se efetuam as modificações na estrutura dos orbes e os eventos evolutivos de suas humanidades."


Trecho do livro O SUBLIME PEREGRINO, de Ramatis - obra psicografada o Hercílio Maes (Editora do Conhecimento). Versão do Livro em PDF aqui.
Mais: A HISTÓRIA DO MESTRE RAMATIS

2 comentários:

Astrid Annabelle disse...

Bom dia meu artista predileto!
Bacana..e pense nisso:
- ao expirarmos nos manifestamos na Terra, estamos presentes...ao inspirarmos, saímos da terra, voltamos para a nossa multidimensionalidade.
Vivemos presentes a cada instante sagrado.
É o micro no macro...
E o tempo só está no plano horizontal...onde se conta mentalmente um atrás do outro...
Existimos na vertical e usamos a horizontal...

#prontofalei...rsss
Como pode perceber seu texto me inspirou!!!!
Beijão Marcelo
Astrid Annabelle

Magali Castilhos disse...

Adorei...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...