quarta-feira, 2 de maio de 2012

O VAZIO, O ZERO, A ESPIRAL E O INFINITO



“O vazio não é a ausência de tudo, mas a potencialidade mais absoluta.

Se considerarmos a equação matemática 0 = (+1) + (-1), da esquerda para a direita, vemos o Zero originando os opostos, dando lugar à polaridade. Se a observarmos da direita para a esquerda, podemos entender o zero como o ponto onde os opostos se aniquilam e a polaridade se complementa. Deduzimos que o Zero não só dá origem à existência, mas também desenvolve os Princípios Positivo e Negativo e a idéia de polaridade.

O Zero seria o Tao, +1 o Princípio Yang, e -1 o Princípio Yin.

Os maias descobriram e usaram o zero pelo menos mil anos antes que algo parecido fosse conhecido na Europa. Representavam-no como um caracol, que na glíptica maia tem a forma de uma espiral. A melhor representação gráfica do zero é a espiral, que integra o ponto sem dimensões com o infinito, dando uma idéia de movimento e geração.

A espiral, símbolo de geração e regeneração periódica, mostra a permanência do ser por meio das flutuações e das mudanças. Não só manifesta o movimento circular, mas une o ponto original com o infinito. A espiral está mostrando que o Zero e o Infinito são duas formas de ver a mesma coisa.

O Zero é a espiral fechada, potencialmente infinita, o infinito não manifestado, não diferenciado. O Infinito é a espiral aberta, o Zero manifestado, a manifestação do potencial.”

Trecho do livro CURSO DE TARÔ E SEU USO TERAPÊUTICO de Veet Pramad (Ed. Madras). Estou amando este livro, que combina numerologia, cabala e astrologia no estudo do Tarô. O Zero corresponde ao arcano O Louco.

“Forma é vazio e vazio em verdade é forma. O vazio é um vácuo vivo que pulsa em um ritmo sem fim de criação e destruição.” Sutra budista

“Quando se sabe que o grande vazio está cheio de CH`I (energia cósmica), compreendemos que não há coisa alguma que não seja o nada” Fritjof Capra – O TAO DA FÍSICA

“E em verdade a Realidade Suprema é Silêncio e Vazio” Arnaud Desjardins

“O espaço vazio é pleno de beatitude”. Lama Gangchen Rinpoche

5 comentários:

António Rosa disse...

Adorei, Marcelo. Grande abraço. Vou partilhar no FB.

Taliesin disse...

Ainda ontem estava a ler precisamente esse trecho do livro de Veet Pramad. :)

Grata pela partilha.

Astrid Annabelle disse...

Bom dia minha alegria!!!
Marcelo amei!!!
Aprendi com Osho que o vazio dos intervalos corresponde a plenitude da vida...a mão de Deus em ação na numerologia!!
Quero ler este livro!!!!
Beijo grande e muito agradecido por sua dica!!!
Partilhando ...claro!!!!^.^...
Astrid Annabelle

Isabela Medeiros disse...

Eu e um amigo que está querendo começar a estudar o tarô (eu já estudei os maioes e ando um pouco parada) estávamos num shopping, quando eu dei de cara com esse livro sozinho numa estante quando comecei a ler a contra-capa me lembrei que era esse que você tinha citado aqui. O livro nos conquistou e como era caro pensamos ao mesmo tempo em rachar o valor e dividir os seus conhecimentos. Incrível mesmo a sincronicidade de tudo. Ele já está lendo alguns trechos e adorando. Depois, mais à frente, vou ler também. Adorei que ele cita os florais... que livro mágico! Obrigada pela dica. Bela :*

Laura'Laurinha (Blogueir@deCoração) disse...

Cada vez que leio algo assim,fico transbordando de felicidade,pois sinto que a vida de fato é muito mais do que se pode imaginar ser . . . é pura energia,luz e sabedoria que vem do criador.
Beijos na Alma,
Laura'Laurinha/Pelotas-Rs-Brasil

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...