quinta-feira, 22 de setembro de 2011

DO MAL, MUITA COISA BOA RESULTOU (Carl G. Jung)



"Mantendo-me calmo, nada reprimindo, permanecendo atento e aceitando a realidade. Vendo as coisas como elas são e não como eu queria que elas fossem.

Ao fazer tudo isso, adquiri um conhecimento incomum, assim como poderes invulgares, de uma amplitude que jamais poderia ter imaginado. Sempre pensara que quando aceitamos as coisas, elas nos sobrepujam de um modo ou de outro. Resulta que isso não é verdade em absoluto. É somente aceitando as coisas que podemos assumir uma atitude em relação a elas.

Por isso, tenciono agora fazer o jogo da vida, ser receptivo a tudo que me chegar, sem julgamentos, bom e mal, luz e sombra alternando-se eternamente; e, desta forma, aceitar também minha própria natureza, com seus aspectos positivos e negativos. Assim, tudo se torna mais vivo para mim.

Que insensato eu fui! Como me esforcei para forçar todas as coisas a harmonizarem-se com o que eu pensava que devia ser..."
Carl Gustav Jung

"Aceite tudo como algo bom e uma profunda transformação ocorrerá."
Osho

8 comentários:

Andréa Destefani disse...

Mais uma vez obrigada! De ontem para hoje minha vida mudou, e agora lendo isto aqui, fechou com chave de ouro....melhor, deu ignição com chave de ouro! Saravá a toda sua banda, saravá a você!

Luiza França disse...

A mensagem veio na hora certa. Extremamente oportuna. Não imagina o quanto.

Bj

cibele nakamura disse...

As vezes é ´muito difícil... mas temos que que aceitar , esta é a grande realidade!!! Obrigada por mais esta linda lição!!! Beijos

Maria Izabel Viégas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria Izabel Viégas disse...

Marcelo querido,
duas jóias:
Esta mandala maravilhosa, me atraiu aqui!
E esta reflexão de Jung, magnífica!

Quanta sabedoria...
Jung sempre me surpreende, me extasia.
E, vc, amigo querido, agradecida por partilhar conosco este texto!

"Que insensato eu fui!"
(e quantas vezes, meu Deus!!!)
"Como me esforcei para forçar todas as coisas a harmonizarem-se" com...meus julgamentos próprios de valor, que nem eram a verdade , nem parcial nem absoluta.

Obrigada, querido!
Quanto tenho que aprender!
Beijos neste lindo coração!

Patty disse...

Aceitar é diferente de concordar... aceitação só nos traz paz e possibilidade de mudanças.
Ao contrário do que parece, aceitar é uma ação - encarar e tomar as decisões mais acertadas.

Daisy disse...

Olá Marcelo, viva!

embora só esteja hoje a escrever o meu comentário :), este seu post foi a Luz da minha semana que passou. A demora esteve mesmo relacionada com os processos internos de recuperação de uma situação que conheceu o seu final e eu, na minha procura por levar algum bálsamo ao meu coração sofrido da luta que travava já há alguns meses entre o ego (e a sua arrogância, ilusão, e o de forçar as situações a serem como ele quer) e ele próprio (o Viver no seu sentido mais pleno, mais verdadeiro, o compassivo, o que perdoa, o que não tem medo, o que sabe que tudo acontece por uma razão Maior), venho até aqui ao seu blogue e leio isto.
Ecoou cá dentro e acalmou-me, deu-me o conforto do que é certo, calou o ego, o coração sossegou e a Paz voltou.

Bem haja!

Com carinho,
Susana.

PS - a mandala é linda! :)

António Rosa disse...

Jung é sempre actual. Abraço.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...