domingo, 7 de junho de 2009

O SIGNIFICADO ESPIRITUAL DOS RELACIONAMENTOS (parte 1)


Olá, amigos!
Compartilho algumas reflexões sobre o significado espiritual dos relacionamentos, sobre as forças do amor, da paixão e do sexo como base para o crescimento e aprendizado da alma humana. Tomo como base o livro "O CAMINHO DA AUTO-TRANSFORMAÇÃO" de Eva Pierrakos, Ed. Cultrix.

Afinal, como a paixão se distingue do amor?
O amor é um estado permanente da alma. A paixão, não.
O amor só pode existir através do desenvolvimento e da purificação.
O amor não vem e vai aleatoriamente, a paixão, sim.
A paixão ataca com força repentina, muitas vezes pegando a pessoa desprevenida e até mesmo sem vontade de passar pela experiência.
O amor é um compromisso consciente.

Quando a alma estiver preparada para o amor, e só então, é que a paixão será a ponte para que ele aconteça. Em alguns casos, se a pessoa estiver amadurecida suficientemente, nem será preciso se apaixonar para que o compromisso do amor surja. Se a paixão não nos afetasse, não nos tirasse dos nossos hábitos enraizados, ninguém estaria preparado para uma busca mais consistente. É uma experiência que lança sementes na alma, faz com que ela aspire à unidade. E esta é justamente a grande meta, o grande plano para a existência humana.

Enquanto a alma permanecer separada, a solidão e a infelicidade serão inevitáveis.

Não importa se o significado verdadeiro da paixão é ou não é compreendido. Mesmo que ela seja um poder mal utilizado, um pouco do seu efeito irá permanecer na alma. E para aqueles que tem medo do risco, medo de suas emoções e da vida, será sempre um bom remédio, apesar da tristeza e da sensação de perda (devido a outros fatores psicológicos).
A maioria destas pessoas tem um ponto vulnerável e a paixão pode entrar por esse ponto…

(continua aqui)

5 comentários:

Kyria disse...

Marcelo, não li este livro da Eva Pierrakos mas sei que a paixão nos conduz ao cumprimento dos objetivos vários que temos assumidos com o Universo através da gente. Nos envolvemos com muita paixão sem atentar para os sinais de dificuldades que possamos vir a ter e só então, depois que a tempestade da paixão se acalma é que ponderamos e muitas das vezes não conseguimos recuar. Assim o amor , amizade, ódio , se apodera e damos continuidade a experiência que será bem ou mau sucedida de acordo com o uso do livre arbítrio. Vamos que vamos, tentando acertar.
Como bem disse você, ainda precisamos desta mola da paixão para nos engajarmos na vida maior que determinamos para nos. Assunto vasto e sábio meu amigo. Bjs

Christiane Forcinito Ashlay Silva de Oliveira disse...

Marcelo

UAU! NOSSA!!!!!
Quero muito que você leia e comente um texto de uma amigo que conheci na net... Acho que tem tudo haver com isso que escreveu!

http://eunamatrix.blogspot.com/2009/06/breakfast-in-love.html

Inclusive eu fiz um longo comentário lá sobre os possíveis tipos femininos de namoradas kkkkkkkkkkkkkkk....

Eu, particularmente concordo com o que ele disse, mas porque não sou ciumenta sei amar em liberdade e viver os momentos de paixão (que são uma delícia...)também... Até posso dizer que sinto um incômodo mas não chega a ser ciúmes há explicação para isso e motivo mas não perco tempo, meu tempo é mais para o amor... ai hoje estou inspirada...hahahaha...

Sou fã do relacionamento de Sartre e Simone (estou seguindo o blog do Elias...) mas faria algumas modificações e colocaria mais sexo, bem a contar com as posições astológicas dela até entendo, mas poderia ter sido mais "light" ao meu ver... kkkkkkk Não sei não a vida é séria sim mas quando soube que foram só 7 anos de vida sexual fiquei decepcionada... kkkkkkkkk...

Depois quero saber o que vc achou!!!! :p

Chris :)

E depois escrevo mais estou em provas ainda e com algumas dificuldades do urano oposição à saturno... Uma oposição da lua e meu netuno... ai ai ai...

Erick Luiz disse...

Olá Marcelo...
Obrigado pela visita.
Fique à vontade para voltar. às vezes os textos demoram um pouco para surgir, mas surgem... Vou das umas melhorias no blog depois..
Um grande abraço

Erick =)

marcelo dalla disse...

Chris, adorei o texto, tem tudo a ver mesmo!!!! Ando refletindo muito sobre isso, graças ao livro q estou lendo (essas reflexões se baseiam nele)... vou postar mais um pouco aqui hoje. Continuemos!!!! bjos

Shin Tau disse...

Marcelo,

quando era mais nova achava que a paixão era tudo, que uma relação sem paixão era morta de significado. Entretanto fui compreendendo que o Amor tem mais Força que a Paixão por isso mesmo que aqui descreveste, a sua intemporalidade. A Paixão consome-se mas o Amor não!!!

Vou ler as restantes

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...