quarta-feira, 10 de novembro de 2010

A CRIAÇÃO POSITIVA



Amigos!
Minha intenção inicial para este post era apenas compartilhar novamente um trecho do livro “NÃO TEMAS O MAL” de Eva Pierrakos e Donovan Thesenga, Editora Cultrix. Li este livro há mais de cinco anos e já havia reproduzido este trecho no Dalla Blog (aqui) quando ainda não era tão visitado quanto hoje. Mas decidi falar um pouco mais sobre o tema, que me desperta profundo interesse.

Fiquei encantado quando conheci o trabalho de Eva Pierrakos e essa metodologia chamada de Pathwork® , que foi toda canalizada. Todo o material contido no Pathwork® foi transmitido  através de Eva Pierrakos, por uma entidade que  veio a ser conhecida como “Guia do Pathwork®”. São 258 palestras com ensinamentos sobre as leis fundamentais da vida, sobre a natureza da realidade psicológica e o processo de desenvolvimento espiritual. É um maravilhoso método, que se transformou numa verdadeira escola (site oficial de São Paulo aqui.)

Neste livro em específico, o Guia trata de uma questão fundamental com profundidade: a importância de encaramos nossas sombras para transmutá-las. Um método é oferecido para que possamos ver claramente nosso “lado escuro”, compreender suas raízes e causas e, o que é mais importante, transformá-lo. Quem ainda não leu, recomendo a leitura.

Este conceito - a "Criação Positiva" - foi novidade pra mim na época. Não consegui compreender muito bem do que se tratava. Mas aos poucos, tudo se tornou cada vez mais claro. A criação positiva é consequência deste caminho de autodescoberta e expansão da consciência. É um tema recorrente aqui no Dalla Blog, o que todos nós estamos descobrindo juntos. Percebo hoje em minha vida os resultados, claros como água. Entendem por que quero compartilhar? Desejo, sinceramente, que tudo isso sirva de estímulo a quem ainda duvida...

“Sempre que atitudes destrutivas permanecem ignoradas ou intocadas, você vive numa ambivalência dolorosa, pois jamais poderá seguir numa direção quando quer ser negativo. Sempre há o Eu Verdadeiro clamando pela realidade absoluta e puxando na direção oposta. A unificação da direção interior só pode ocorrer quando a personalidade é verdadeiramente construtiva, sem destrutividades ocultas.

Para que você se vivencie como aquele ser eterno que você é essencial e absolutamente, é preciso que você considere e teste a possibilidade da criação positiva. Você verá então que criar positivamente é realmente muito mais fácil e natural: trata-se de um processo orgânico. A criação negativa e as atitudes destrutivas são artificiais e forjadas, mesmo que você esteja agora tão acostumado a ela que lhe pareçam mais naturais. O positivo não exige esforço. 
À primeira vista parece que abandonar o negativo, que se tornou uma segunda natureza para você, é um esforço grande demais. Ele parece excessivo porque você ainda crê que, ao abandonar a negatividade, você cria uma positividade que é algo completamente novo. Se fosse assim, na maioria dos casos, essa criação seria totalmente impossível. 

Mas no momento em que você percebe que a criação positiva já está aí no seu interior e que ela pode se desenvolver, se revelar no momento em que isso for permitido, abandonar a negatividade converte-se no alívio de um pesado fardo que o empurrou para baixo durante toda a sua vida – e em muitas outras vidas antes desta.

Quando dizemos que Deus está dentro de você, queremos dizer precisamente isso. Não apenas a consciência maior com infinita sabedoria da ordem mais pessoal, estão ao seu alcance em qualquer momento que você precise dela; não apenas os poderes da força e da energia criadora, sentimentos de bem-aventurança, alegria e prazer supremo estão acessíveis a você em todos os níveis, mas também, exatamente debaixo daquele ponto em que você está enfermo com a sua negatividade, existe uma nova vida na qual todas as reações a todas as possíveis contigências são claras, fortes e inteiramente satisfatórias e corretas para cada ocasião. 

Uma flexibilidade e uma criatividade no reagir já existem por trás dos falsos papéis e dos fingimentos, além do domínio da destrutividade. Sob o seu amortecimento exterior já existe uma vivacidade borbulhante. A princípio, ela vai brilhar apenas em alguns momentos. No devido tempo, ela vai se manifestar como o seu clima interior permanente.”

A criação positiva é mesmo muito mais fácil, pois nossa missão é sermos felizes e alegres. Um pequeno exemplo: quem fuma, sente dificuldades em abandonar o vício. Um belo dia, quando decide parar, vê que não era tão difícil assim e que a vida é muito melhor sem o cigarro. Simples!

Dei esse exemplo porque já vivi na pele essa situação. Isso vale pra qualquer vício, hábito, ou comportamento destrutivo. No fim, tudo é bem mais fácil do que imaginávamos. Temos essa tendência, a de dificultar as coisas e pintar o diabo mais feio do que ele é.

Vamos refletir? Concluo com uma frase que acabo de ler no twiter (deixaram assim, entre aspas e sem o nome do autor): "Deixe a vida fazer com você, o que a primavera faz com as flores."

13 comentários:

António Rosa disse...

Marcelo

Tudo em ordem. Fez muito bem. Post maravilhoso. Abraço.

marcelo dalla disse...

Gratíssimo, meu querido!!!!
abraço

Glorinha L de Lion disse...

Lindo! Coube direitinho em mim! Vesti seu post e vou sair por aí...Namastê! Beijo grande!

Siala disse...

Marcelo...maravilhoso post!! Parece-me que tenho algo a encontrar nesse livro que vou poder aplicara esta fase da minha vida :)
Namasté!

marcelo dalla disse...

Glorinha, querida!!! Sabe que quando fiz este post pensei em vc? Foi depois que vi seu post das borboletas. Pensei: - hmmmm... acho q a Glorinha vai gostar!!! :)))
bjos do amigo

marcelo dalla disse...

Siala: o livro é realmente maravilhoso. É um daqueles livros básicos obrigatórios. hehehe
bjossssssssssss

Gisela disse...

Eu sou assim desde que nasci: Sol, Mercúrio e Júpiter de casa 8, mas isso apenas não basta, porque às vezes exagero no drama. Para mim não há outra solução do que enfrentar os monstrinhos. Essa etapa da "autoajuda" vem depois que a pessoa já leu todos os pensadores e os "bons escritores". Pelo menos para mim foi assim. Conheço gente que é ruimpadedéu e lê trocentos livros, faz mil e uma coisas. Mas não consegue aplicar no dia-a-dia pois o interior dessas pessoas precisa ser transmutado. Uma soma de todos os tratamentos é legal. Vejo dessa forma.

marcelo dalla disse...

Olá Gisela! Concordo com vc... essa é a nossa busca. Aos poucos, vamos encontrando as respostas e nos curando.
grande bjo

Astrid Annabelle disse...

Como é bom ler e ver coisas boas!!!!
Marcelo muito bom!
Conheço o trabalho da Eva Pierrakos e considero-o excelente. Me ajudou demais.
Parabéns...é disso que a blogosfera precisa!!!
Beijão querido.
Astrid Annabelle

marcelo dalla disse...

Astrid, minha amiga querida!!! estava sentindo falta de sua visita e de seu astral por aqui. Me acostumei com seus comentários deliciosos. Um bálsamo! Vc me inspira muito!!! hehehehe
grande bjo

Beth/Lilás disse...

Oi, Marcelo!
Teu post está mesmo ótimo e serviu como uma luva pra Glorinha, ou seja, levantou-a do marasmo e quero parabenizá-lo pelos lindos trabalhos gráficos que aqui expõe. São mesmo sensacionais!
abraço carioca

Anorkinda disse...

MARAVILHA,meu querido!

estudei tanto isto na comunidade THE SECRET, do orkut...formamos um grupo lindo que se ajudou mutuamente e todos estamos trilhando nossos sonhos mais caros e tão simples de alcançar como jamais pensaríamos ser possível!

Amo muito tudo isto!

E o fim das ilusões, principalmente. Adeus ilusões que escravizavam-nos à sombra, com tanta primavera lá fora!

:)
besitos!

Simonie disse...

Olá, Marcelo!
Em quase dois anos, como sugere a Eva, estou concluindo com cinco amigos, o estudo do livro Não temas o mal. Como você mesmo disse, trata-se de um processo orgânico de transformação. Mas lhe afirmo que não foi um processo fácil: de forma desafiadora, dolorosa e surpreendentemente estimulante, estou vivenciando a mais significativa transformação de minha vida.
Torço para que muitos busquem o pathwork de Eva pierrakos.
Alegria e Paz!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...